quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Se você acha que está na moda... Parte 19

Era fila para desfile de moda? Nãããããããão! Era fila para entrar no parque de diversão! Imagina se molha a meia do ballet e esse sapatinho no SPLASHHHHHH, vishhhh.....



quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Miyajima

Miyajima ou Ilha Itsukushima que pertence a cidade de Hiroshima foi o passeio da tarde, pegamos a balsa, aliás para quem tem o JR Pass, o passe cobre este percurso gratuitamente, que dura cerca de 15 a 20 minutos até a ilha.


Durante o percurso vimos cativeiros de criação de ostras.


Primeira coisa quando descemos da estação avistamos os famosos "bambis" que circulam pela ilha, eles andam soltos e não estão nem aí, alguns até avançam nos turistas que estão comendo alguma coisa no momento.

Logo a frente para poder entrar no Torii do Santuário de Itsukushima tem que pagar, ah sim, claro...

Depois mamis rezou e jogou aquela moedinha com furinho de 5 ienes, saravá!

A maré estava baixa, a noite a água do mar chega a entrar, aliás este dia foi um dia após o tufão Melor e o tempo abriu pacas.

Pausa para a foto clássica em frente ao grande Torii.

Depois eu estava curiosa para andar no bondinho e subimos um vilarejo para pegar um ônibus que nos levaria até lá em cima.

Um fato curioso desse bondinho é que é dividido em dois percursos, para subir o preço total é de 1.800 ienes, cerca de 30 reais, e havia uma placa escrita: Ida: 900 ienes, ida+volta: 1.800, pois bem pensamos no seguinte, ah melhor pagar ida e volta porque depois voltar a pé e descer a montanha rolando não dá né? E para nossa surpresa ao terminar o percurso e pegar o bondinho da volta, há um aviso para comprar o ticket da volta, pois não há opção de volta sem ser via bondinho, pultz não entendi nada coisas de japoneses ahahahahah.

Uma coisa que não sabia da minha veioca é que ela se borra toda de medo de altura, faltou muito pouco para melar o banquinho do bondinho, eu não podia nem me mexer, quanto menos tirar fotos, ela entrou em pânico e eu claro me diverti kkkkk

E o bondinho foi subindo, incrível como foi se distanciando e aos poucos dava para enxergar a ilha toda, e a temperatura foi caindo....


Mamis viva, e feliz por ter completado o percurso, no maior estilo DORIANA.

Dizem que há macacos nessa região, mas não vimos nada, aliás já estava um pouco aflita porque este bondinho já era um dos último para voltar, então tiramos umas fotos e visualizamos a linda paisagem e retornamos rapidamente.

Depois ao descer na ilha novamente fiquei precoupada com o último horário da balsa, já era 6 da tarde e todo comércio estava fechando, mas para nosso alívio a última balsa funciona até as 10:30 da noite. É uma pena que tudo fecha tão rápido, não tivemos outra opção senão voltar para o hotel, mas o fim da tarde em Miyajima é lindo demais!

Com certeza um passeio que valeu a pena, incrível como o dia rendeu, depois de Hiroshima, logo pela manhã do dia seguinte pegamos o shinkansen rumo a Kyoto.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Hiroshima

Dando continuidade aos passeios com mami, após Osaka paramos em Hiroshima. Eu tinha um certo receio de conhecer Hiroshima por ter toda aquela história da bomba atomica, e sempre pensava comigo:"Não deve ser um lugar bacana para visitar...", mas o curioso é que todo mundo que vai para lá volta dizendo que foi legal e bláblá ter visitado a cidade.

A primeira coisa que vimos já causou um certo impacto, a Cúpula da Bomba Atômica(A-Bomb Dome), antigo prédio da prefeitura uma das únicas construções que sobraram daquela manhã de 6 de agosto de 1945. E se transformou em um monumento para representar a paz e a partir de 1996 classificado como patrimônio da humanidade.

O silêncio domina o local é bem triste.


É chocante ver o antes e o depois, a cidade sumiu e o que restou da estrutura do edifício.

Mais a frente, o Museu Memorial da Paz de Hiroshima, dentro do museu há muitas peças de roupas e objetos da época, histórias de sobreviventes que sofreram como por exemplo de leucemia e cancer, além da perda de parentes e amigos(200 mil mortos aproximadamente) após o ataque com a radiação da bomba.

Por outro lado é fantástico ver como a cidade se reergueu após quase 65 anos do atentado. A cidade é super arborizada, diziam na época que iria demorar no mínimo mais de 75 anos para a natureza voltar a crescer em Hiroshima. Senti a população de Hiroshima bem receptiva, estão bem mais acostumados com turistas do que em Tóquio por exemplo.

Dentro da cidade há uma espécie de trem de rua, eu não entendi nada, eheheh foi uma confusão pegar esse treco, compramos um ticket que dava direito a 6 trajetos, curiosamente havia um cobrador nesses trens, achei tão bonitinho o tiozinho, ele tinha uma pochete onde guardava o troco e o dinheiro das passagens. Por duas vezes pegamos o sentido contrário, mas na verdade para quem tiver disposição dá para fazer a pé o trajeto da estação de Hiroshima até o Memorial da Paz, e depois até o castelo.

O Castelo de Hiroshima foi reconstruído em 1958, o interior do castelo é utilizado como museu.

No último andar é possível ver uns pontos da cidade de Hiroshima.

Parada para o almoço, degustamos o tradicional Okonomiyaki de Hiroshima.

Uma espécie de super panqueca com ovo, macarrão, repolho, frutos do mar e uma massaroca embaixo, na parte de cima cobertura de molho e maionese.

Depois curiosamente a menina do restaurante trouxe a conta, e adivinhem o que mais?

Um espelhinho e palitos de dente para tirar aqueles benditos verdinhos que estragam as nossas fotos das férias! Aiaiai cada uma... Eu vi a senhora da mesa da frente usando o espelho e depois ela saiu da mesa, eu ia avisá-la que ela estava esquecendo o apetrecho, depois me dei conta que era do restaurante...

Bom este foi o passeio até a hora do almoço na parte da tarde partimos para ilha de Miyajima, mas vou deixar para o próximo post!